Implante Dentário

Implante Dentário

– Se perdeu um ou mais dentes, ou se após exame meticuloso foram previstas uma ou mais extracções inevitáveis, concerteza gostaria de restabelecer a condição de mastigar os alimentos, falar e sorrir com naturalidade e confiança. Neste caso, os implantes dentários são uma solução para si.

– Os avanços tecnológicos em materiais dentários e técnicas têm ampliado as possibilidades de sucesso dos implantes, capacitando muitos pacientes a desfrutarem de conforto e confiança na sua saúde oral. Os implantes dentários são substitutos artificiais das raízes dos dentes naturais que foram extarídos. Os implantes passam a funcionar como suportes fixos para dentes artificiais, tanto para substituir um dente individualmente, como para suportar pontes fixas ou dentaduras (placas), no caso de perda total dos dentes.

– Estudos demonstram que os implantes possuem taxas de sucesso acima de 90%. Mas é importante que o paciente tenha consciência da necessidade de manter uma boa higiene oral e visitas periódicas ao seu dentista.

Estamos preparados para oferecer do melhor e mais moderno nesta área.

Implantes Atraumáticos
– São colocados sem a necessidade de abrir a gengiva, evitando assim a sutura (pontos) e a medicação do pré e pós-operatório é menor. O edema e a dor após cirurgia são mínimos, proporcionando na maioria das vezes o imediato retorno do paciente às suas actividades regulares.

Perfuração do implante pela técnica atraumática (sem descolar gengiva)
Aspecto logo após instalação dos implantes

Implantes Temporários
– Estes implantes podem ser colocados logo após as extracções, enxertos ou implantes osseointegrados e são indicados para apoiar a prótese fixa provisória, enquanto se espera a osseointegração dos implantes, a qual dura de 3 a 6 meses, para então se colocar a prótese fixa final. A vantagem desta técnica está em não sentir os incómodos dos provisórios removíveis.

Mini Implantes Temporários apoiando prótese.

Implantes Imediatos
– Os conceitos protéticos de carga imediata na implantologia bucal correspondem a métodos de tratamento modernos e fascinantes possibilitando ao paciente maior agilidade e conforto nas consultas dentárias.

Enxertos – Técnicas Avançadas
– É frequente a indicação de enxertos que promovam o aumento ósseo para viabilizar a instalação dos implantes.

Incisão

Fixação do bloco ósseo
Aumento do osso possibilitando instalação de implante


PERGUNTAS E RESPOSTAS

O que são implantes dentários?
Implantes dentários  são parafusos confeccionados em titânio  que são  colocados dentro dos ossos maxilares, funcionando como fixação para diferentes tipos de próteses dentárias: de um único dente, de vários dentes, ou até mesmo de todos os dentes. Os pacientes costumam confundir implantes com próteses fixas; na realidade, implantes servem para substituir as raízes dos dentes, em situações de perda ou impossibilidade de aproveitamento destas.

Qualquer paciente pode receber implantes?
Praticamente todos os pacientes em bom estado geral (que não apresentem doenças de ordem médica) podem receber implantes dentários. Alguns factores podem influenciar no sucesso do tratamento, como, por exemplo, o fumo e a diabetes, devendo ser avaliados previamente. O procedimento de implantação oral é um pequeno ato cirúrgico e uma adequada avaliação é necessária antes de qualquer cirurgia bucal.

Por que alguns pacientes precisam de enxertos ósseos?
A necessidade de enxertos ósseos é freqüente. Eles podem ser feitos em uma fase prévia à implantação e, nesse caso, os implantes são colocados após um período de cicatrização óssea em média de  5 meses. Quando possível, o enxerto é realizado na mesmo momento  da instalação dos implantes.

É preciso realizar algum tratamento antes da instalação  dos implantes?
Em alguns casos sim. Deve-se eliminar qualquer processo infeccioso pré-existente na cavidade oral, ou seja, tratamento periodontal (gengival), extrações de dentes com focos de infecção bem como tratamentos endodônticos (canais) devem ser realizados anteriormente à implantação. Todos esses aspectos fazem parte de um planejamento inicial realizado pelo profissional, que deve ser discutido abertamente com o doente, antes do início do tratamento.

Dói muito para colocar os implantes?
Não. Obviamente trata-se de um pequeno ato cirúrgico e um certo edema (inchaço) é esperado, especialmente nos primeiros 3 dias pós-operatório. O edema é tanto maior quanto maior o tempo da instalação. Os enxerto ósseo costumam provocar maior trauma. Entretanto, existem medicações específicas para o controle da inflamação pós-operatória, assim como antibióticos (remédios que combatem infecção) e analgésicos, que o médico  poderá prescrever em caso de necessidade.

Quanto tempo demora o tratamento?
Depende de cada caso. Após a colocação, os implantes permanecem em repouso por um período que varia de 2 a 6 meses, para que ocorra o fenómeno biológico da osseointegração (união direta do titânio ao osso), após o qual os implantes são descobertos e uma prótese dentária é conectada ao implante por meio de uma parte secundária denominada pilar. Em casos que envolvem enxerto ósseo, o tratamento fica
inevitavelmente mais longo. Em alguns casos específicos, a prótese pode ser instalada já no dia da cirurgia de implantação (carga imediata).

Existe perigo de rejeição?
Não. A taxa de sucesso dos implantes osseointegráveis é alta, havendo diversos estudos científicos comprovando sua eficácia, mesmo após muitos anos em função mastigatória. Existe, porém, uma possibilidade pequena de perda do implante (não ocorrência da osseointegração), em torno de 7% dos casos, normalmente logo após o período de repouso pós-implantação. Nesses casos o implante é removido facilmente, podendo freqüentemente instalar um novo no local.

Como devo cuidar dos implantes após o tratamento? Podem existir complicações relacionadas aos implantes?
Os implantes, assim como os dentes e gengivas, têm de ser muito bem limpos, utilizando-se os dispositivos (fio dental e escova) recomendados pelo seu médico dentista. A principal complicação biológica é a periimplantite (doença que acomete o osso e a gengiva ao redor do implante).  O mais importante é o comparecimento regular do paciente às consultas de manutenção para prevenir ou diagnosticar precocemente qualquer alteração.

Dentes que parecem e funcionam como se fossem naturais:
A perda de dentes é um problema comum a milhões de pessoas. Infelizmente, existem muitas dificuldades associadas a esta situação.

Para a grande maioria das pessoas, a falta de auto estima devido à perda de seus dentes é uma situação social embaraçadora. Freqüentemente evitam escovar os dentes perto de outras pessoas, reuniões em que devam falar em público, ou que incluam refeições, para evitar situações comprometedoras.

São pessoas que escondem seu sorriso, têm dificuldade em mastigar ou não se sentem confortáveis ou seguras com suas dentaduras ou pontes móveis. Alguns relatam até dificuldades no relacionamento social e amoroso, devido a estas inseguranças.

Os implantes dentários, atualmente, são a melhor solução para estas situações
Se você ou alguém que conhece está passando por alguns dos seguintes problemas, deveria considerar o tratamento com implantes dentários:

– Perda de um ou mais dentes
– Possibilidade de perder uma prótese fixa, quando um ou mais dentes naturais se enfraquecem
– Mudanças pouco atraentes em seu aspecto dento-facial
– Falta de confiança no falar ou rir
– Risco de perda de dente por doença periodontal
– Dificuldade de mastigar certos alimentos
– Prótese total (dentadura) ou parcial (ponte móvel)
– Fratura envolvendo a raiz do dente

O tratamento com implantes tem melhorado a vida de muitas pessoas trazendo benefícios e vantagens tais como:
– Quando indicado, o paciente poderá ter seus dentes em até 72 horas após a cirurgia;
– Melhora da saúde graças à capacidade de mastigar uma ampla variedade de alimentos nutritivos;
– A restauração da boca da forma mais parecida com seu estado natural;
– Maior conforto e confiança devido à eliminação de próteses totais ou próteses parciais mal ajustadas ou soltas;
– Preservação da estrutura dos ossos maxilares pela redução de possível deterioração, mantendo a estética facial;
– Evita o desgaste de dentes vizinhos, necessários para a colocação de próteses fixas sem implantes;
– Sentimento de mastigar com seu próprio dente.